Sociedade Filarmónica

Não se sabe ao certo há quantos anos existe Banda de Música em Pontével. Na sede da Sociedade Filarmónica Incrível Pontevelense existe uma fotografia da Filarmónica de Pontével, com data de 1887. Por outro lado ha testemunhos de Pontevelense cujos antepassados foram músicos na Banda de Pontével, entre os quais se destaca o avô do nosso amigo Eng. João da Silva Pimenta, que nasceu em 1877 e que aos 10 anos já tocava clarinete, presumindo-se ser um dos elementos que estão na referida fotografia.

SFIPCom estatuto de colectividade, surgiu no ano de 1904 a Sociedade Filarmónica Incrível Pontevelense. Alguns anos volvidos, e com o advento da República que foi calorosamente recebida pela população local, viu também o campo musical continuar a beneficiar da enorme capacidade pedagógica e conhecimentos musicais do Mestre Augusto Loureiro, conseguindo-se uma aderência de jovens de tal forma que a colectividade, por falta de estruturas, não pode suportar tal entusiasmo.

Por volta do ano de 196(?), o Mestre A. Loureiro, e substituído por Mestre José Mendes que em 1931, entrando em rotura, saiu levando consigo alguns músicos por ele ensinados e formou a Sociedade Musical União Pontevelense, que cognominados pelos "Os Grilos", assim como os seus simpatizantes, tendo sido igualmente cognominados os músicos e simpatizantes da Sociedade Filarmónica Incrível Pontevelense de os "Besouros".

Banda SFIPA rivalidade entre as duas Bandas era enorme e doentia até que em 1 de Dezembro de 1933, e quando as duas Bandas andavam a cumprimentar os seus simpatizantes, se encontraram de frente numa rua estreita e deu-se o inevitável, passando-se da musica a violência, ao ponto de o conflito vir a ser resolvido com a presença da autoridade Distrital.

Passado algum tempo, e por determinação do governador do Distrito, foi extinta a Sociedade Musical União Pontevelense "Os Grilos", ficando em actividade a Sociedade Filarmónica Incrível Pontevelense, que no campo social, tem tido uma acção de muito mérito junto da população local, apesar dos altos e baixos a que tem estado sujeita.

No campo musical, tem representado com muita dignidade a sua tema quer em Festas, concertos, Encontros de Bandas Civis do Distrito de Santarém. onde obteve o 1° lugar em 2°s categorias. Ainda a sua presença no Encontro de Bandas em Tomar e a participação num Festival Nacional de Bandas Civis, realizado em 1991 em Lisboa.

No início dos anos 90, a Direcção meteu mãos a obra e fez o que se pode chamar uma corajosa revolução, introduzindo novos conceitos, que embora não tenham sido do agrado de alguns músicos mais velhos, teve no entanto a virtude de entusiasmar uma boa camada de jovens, que sob a orientação do então Maestro Simões Ribeiro, são hoje ainda o suporte de músicos da banda da Sociedade Filarmónica Incrível Pontevelense, considerada uma das Bandas mais jovens da nossa região.

› AGENDA
› NEWSLETTER
Email
destaques